Browsing Tag

Refletir

Data

Páscoa: Com chocolate e sem doer o bolso

Páscoa: Com chocolate e sem doer o bolso

Seja uma data festiva pagã, judaica, cristã ou comercial, a Páscoa é mais uma data na qual podemos desacelerar, reunir a família e trocar presentes.

E presente é a palavra mágica… Afinal, quem não gosta de dar e receber presente? Principalmente um presente tão gostoso como o chocolate?

O único problema de haver tanta data comemorativa é que, fica difícil presentear a todos, principalmente porque os elementos específicos de cada data fica mais caro a cada ano.

Então, a dica é deixar a magia dos belos ovos de páscoa para as crianças (até porque passamos mais tempo como adultos do que como crianças. Por isso, vale a pena deixá-las aproveitar os ovos de páscoa e os brinquedos/brindes de baixa qualidade que as deixam felizes).

Mas e os adultos? Lógico que não precisamos deixar de presenteá-los. Mas para não acabarmos com a conta mais no vermelho do que o normal, uma dica boa é descobrir qual o chocolate predileto da pessoa.

Descobrindo a marca e/ou sabor favorito, podemos presentear com uma embalagem menor ou mesmo um tablete. E assim, conseguimos fugir das tradicionais e sem graça caixas de bombom e damos algo que seja especial para a pessoa.

Por exemplo, eu adoro os chocolates da loja Kopenhagen. Além do chocolate ser mais caro do que uma caixa de bombom de marcas populares e eu ter a consciência do quanto o excesso de chocolate pesa na balança, receber uma barra do meu chocolate favorito é um gesto bacana e atencioso.

E sejamos sinceros, com a idade aprendemos que um gesto sincero vale mais do que kilos de chocolate (e olha que sou chocólatra, hein).

Então, vá descobrir quais os chocolates que as pessoas que você presenteará preferem e tenha um ótimo domingo de Páscoa!

Causos

O que aprendi com a Sandy

No post de hoje vou contar sobre o dia em que fui ao show da Sandy  e que aprendi a dizer mais sim!

No primeiro sábado do mês, dia 02/12, aconteceu o penúltimo show da turnê Meu canto da Sandy no Vivo Rio e eu fui com duas amigas.

Sandy ou Sandy Leah Lima é filha do cantor Xororó da dupla sertaneja Chitãozinho & Xororó. nasceu em 28/01/1984 e é conhecida desde a infância pois, além de ter família famosa, fez dupla com seu irmão Junior durante 17 anos. Em 2010, a cantora lançou seu primeiro álbum solo, chamado “Manuscrito”, que possui treze músicas autorais e inéditas.

Eu conheço as músicas de Sandy e Junior desde sempre, pois temos a mesma faixa etária, e era impossível não ouvir na rádio e/ou na TV músicas da dupla. Mas confesso que nunca fui fã, nunca cheguei a comprar nenhum disco, fita ou CD, mas quando surgiu uma música da Sandy chamada “Aquelas dos 30”, bem na época que faltava poucos anos para eu também completar 30 anos,  viciei nessa música e então dei uma “nova chance”, e comecei a ouvir outras músicas da cantora.

Uma amiga me convidou para o show, primeiro pensei que não queria gastar dinheiro indo no show de um artista que não sou fã, mas em seguida deixei o “dindin” de lado e pensei “por que não?” e, sinceramente, não me arrependi. A companhia agradável das amigas, os aperitivos deliciosos, um ambiente bacana e um show muito bom, fizeram o “sim” valer a pena.  E a Sandy tem uma voz doce, suave e elegante, tanto na hora de cantar quanto ao falar com o público,o que me fez gostar mais ainda de ter ido, o show, mesmo cantando duas musicas da época de Sandy e Júnior, foi bem adulto.

Abaixo algumas fotos tiradas com celular:

show sandy turne meu canto vivo rio 02.12.17

show sandy turne meu canto vivo rio

Com essa experiência, aprendi que devemos nos permitir a  falar mais “sim” para a vida. Lógico que não devemos dizer sim para tudo, e nem dizer sim quando queremos dizer não, pois isso é dar mais valor aos outros do que a nós mesmos, é não nos respeitar.

Mas nos permitir dizer mais sim, é nos permitir “quebrar a cara” consciente e também nos permitir ter momentos surpreendentemente bons. Você pode, depois de ler esse post, vir me dizer: “Ah, mas falei sim e o meu dia foi péssimo”. Ok, é bem provável que aconteça, afinal, a vida é imprevisível, não podemos controlar tudo. O que podemos é controlar como reagimos aos acontecimentos. O dia foi péssimo? Então tente tirar algo bom da experiência. Pense,  será que de fato nenhum minuto do dia foi bom? Será que não valeu a pena você sair da sua zona de conforto, mesmo que para aprender a reagir em alguma situação?

Muitas vezes, dizendo “não” às oportunidades,  por medo do desconhecido, rejeitamos muitas chances de termos experiências agradáveis.  Mas só saberemos se nos permitirmos, o “e se” e o “não” pode não nos levar para longe de nossa zona de conforto, e pode ser que o que você almeja esteja a um milímetro da sua zona de conforto e você não terá como saber se não permitir. Pense nisso!

prx1

Variedades

Furacão Irma e o Brasil

Comentando sobre o Furacão Irma e o Brasil

Nos últimos dias o que mais temos visto são notícias a respeito do furacão Irma. E não é a toa, o furacão Irma já está sendo considerado por especialistas o mais poderoso da década no Atlântico. O furacão chegou à categoria 5, que é a mais alta, quando e os ventos superam a marca dos 252 km/h. Segundo a Nasa, os ventos do Irma já ultrapassam os 280 km/h.

Depois de deixar um rastro de destruição no Caribe, a ilha de St Martin ficou destruída, e Barbuda, outra pequena ilha caribenha, está “quase inabitável”, segundo o primeiro ministro de Antígua e Barbuda, Gaston Browne. O furacão Irma atingiu neste domingo as ilhas ao sul da Flórida.

Segundo o Centro de Furacões dos EUA, o furacão Irma perdeu força e foi rebaixado para a categoria 4, mas ainda é um grau alto e preocupante para a população dos locais por onde ele passará.

furacao irma bbc brasil

Segundo especialistas, o Brasil não precisa se preocupar com furacão pois as chances de que isso aconteça por aqui são mínimas.

Historicamente, só um furacão foi registrado na história do Brasil. Chamado de Catarina, ele atingiu o litoral do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina em março de 2004, e ainda há divergências se o Catarina foi de fato um furacão.

Acompanhando através da internet a preparação para a chegada do furacão e os estragos por onde ele passou, precisamos agradecer por estarmos em um país no qual não é comum ter esse tipo de fenômeno natural e também entendermos que devemos cuidar da natureza, pois ela sabe ser impiedosa.

Não importa quão evoluídos sejamos, a natureza consegue ser mais forte e mais rápido do que nós.

Viver no Brasil é ter o privilégio de conviver com a natureza, e não precisarmos nos preocupar com catástrofes naturais da magnitude do Irma.

O Brasil tem um povo alegre, um povo que “se vira nos 30” para viver em meio a gritante desigualdade social, um povo que, infelizmente, ainda não conseguiu se livrar das amarras do passado, o qual não tinham voz e nem possibilidade de pensar por si.

Há 3 dias, no dia 07 de setembro, tivemos o feriado em comemoração da Independência do país, no entanto, realmente somos livres?

Fonte: BBC Brasil

prx1